segunda-feira, 18 de julho de 2011

O primeiro celular da história

Há quem se sinta nú sem ele, e que ache a morte ao ficar sem bateria. O fato é que os celulares são hoje um objeto de importância singular no mundo inteiro, seja para lazer ou trabalho. Mas você sabia que foram necessários mais de 50 anos para você ter esse aparelho em suas mãos?

A tecnologia necessária para desenvolver o primeiro celular propriamente dito foi criada em 16 de outubro de 1956, e o telefone móvel com essa tecnologia em 3 de abril de 1973, mas muita coisa aconteceu antes desse lançamento.

Há quem se sinta nú sem ele, e que ache a morte ao ficar sem bateria. O fato é que os celulares são hoje um objeto de importância singular no mundo inteiro, seja para lazer ou trabalho. Mas você sabia que foram necessários mais de 50 anos para você ter esse aparelho em suas mãos?

A tecnologia necessária para desenvolver o primeiro celular propriamente dito foi criada em 16 de outubro de 1956, e o telefone móvel com essa tecnologia em 3 de abril de 1973, mas muita coisa aconteceu antes desse lançamento.

Ericsson MTA, considerado o primeiro telefone celular (Foto: Divulgação)Ericsson MTA, considerado o primeiro telefone celular (Foto: Divulgação)

Nossa história começa em 1888, quando o físico alemão Heinrich Hertz (que dá nome a unidade de medida de frequência, Hertz) transmitiu pela primeira vez códigos sonoros pelo ar, o que possibilitou não somente o desenvolvimento dos rádio-transmissores, como também a primeira ligação telefônica intercontinental em 1914.

26 anos depois, em 1940, foi criado um sistema de comunicação à distância que possibilitava a mudança de canais de frequência, evitando, assim, que houvessem interceptações no sinal. Sete anos depois a empresa de tecnologia norte-americana Bell, que hoje faz parte da AT&T, se utilizou dessa tecnologia para desenvolver um sistema telefônico interligado por várias antenas, batizadas de "células", o que gerou o nome do aparelho.

Em 1956 a Ericsson, então, resolveu unir todas as tecnologias desenvolvidas anteriormente e finalmente criar o celular, chamado de Ericsson MTA (Mobilie Telephony A). O aparelho só era móvel se fosse levado em um carro, porque pesava quase 40 quilos, e o custo de produção também não facilitava sua popularização.

A primeira geração, ou 1G, a fase analógica, dominou o mercado no início dos anos 1980;

- A segunda geração, ou 2G, o início da era digital, desenvolvida no final dos anos 1980 e início dos anos 1990, usava os sistemas CDMA e TDMA. Também é a geração dos chips, o chamado GSM;

- A segunda geração e meia, ou 2,5G, uma versão melhorada da 2G, com melhor transmissão de dados;

- A terceira geração, ou 3G, a atual geração de celulares em boa parte do mundo, operando desde o final dos anos 1990, possibilitou o acesso a internet entre outras funções digitais avançadas;

- A terceira geração e meia (3,5G), assim como a 2,5G, é uma evolução da geração anterior, a 3G, com maior velocidade de conexão com a internet, o que a aproxima da velocidade da internet banda larga convencional;

- E por fim a quarta geração (4G), atualmente em desenvolvimento.

O que será que o “futuro” nos reserva?



Fonte: G1 techtudo - Romannessa Sanches

Nenhum comentário:

Postar um comentário