segunda-feira, 26 de setembro de 2011

RELEMBRANDO O ROCK DE VERDADE (Philips Monster of Rock)

Nascido em 1980, o Monsters of Rock era um festival anual promovido em agosto na pista de corridas do Castelo Donington na Inglaterra. Além das edições inglesas, muitos países também tiveram suas edições. Entre eles, o Brasil.

Assim, inspirado por este link, resolvi trazer algum material das 4 edições brasileiras. que viram shows do Philips Monsters of Rock, em São Paulo – e que devem, claro, contribuir / comentar neste post as experiências e lembranças.

1994

São Paulo, Estádio do Pacaembu – August 27, 1994

  • Kiss
  • Black Sabbath
  • Slayer
  • Suicidal Tendencies
  • Viper
  • Raimundos
  • Angra
  • Dr. Sin

1995

São Paulo, Estádio do Pacaembu – September 2 and 3, 1995

  • Ozzy Osbourne
  • Alice Cooper
  • Megadeth
  • Faith No More
  • Paradise Lost
  • Therapy?
  • Clawfinger
  • Rata Blanca
  • Virna Lisi

1996

São Paulo, Estádio do Pacaembu – August 24, 1996

  • Héroes del Silencio
  • Mercyful Fate
  • King Diamond
  • Helloween
  • Raimundos
  • Biohazard
  • Motörhead
  • Skid Row
  • Iron Maiden

Quatorze anos após o show do IRON MAIDEN no Pacaembú, em São Paulo/SP, foi digitalizada e disponibilizada no YouTube, por Adriano Ribeiro, uma gravação caseira da apresentação.

Esse foi o primeiro show no Brasil com o vocalista BLAZE BAYLEY, e o vídeo demonstra claramente a baixa aceitação do novo vocalista pelo público, especialmente na música "Afraid to Shoot Strangers", onde errou a letra.

O show fez parte do festival “Philips Monster of Rock”, ocorrido em 23 de agosto de 1996, que contou também com a presença das bandas HEROES DEL SILENCIO, MERCYFUL FATE, KING DIAMOND, HELLOWEEN, RAIMUNDOS, BIOHAZARD, MOTÖRHEAD e SKID ROW.

O setlist incluiu diversas músicas executadas também nas apresentações da mais recente turnê da banda, “Somewhere Back in Time”, em 2008 e 2009: “The Trooper”, “The Number of The Beast”, “Hallowed be thy Name”, “The Clairvoyant”, “Iron Maiden”, “Fear of the Dark”, “Sanctuary”, “2 Minutes to Midnight”, “The Evil That Men Do”, “Heaven Can Wait” e “Wrathchild”. O repertório contou também com “Running Free” e “Afraid to Shoot Strangers”, além das até então novíssimas “Man on The Edge”, “Lord of the Flies”, “Fortunes of War”, “Blood On The World's Hands”, “The Aftermath” e “Sign of The Cross”, totalizando 19 músicas.

Todos os vídeos podem ser conferidos em
http://www.youtube.com/view_play_list?p=5941FB824AF76A101998


1998 - São Paulo, Ibirapuera – September 26, 1998

  • Manowar
  • Megadeth
  • Slayer
  • Savatage
  • Saxon
  • Dream Theater
  • Dorsal Atlântica
  • Korzus
  • Glenn Hughes

- A Philips foi a empresa que promoveu o evento no país.

- Os três primeiros Monsters tiveram como sede o estádio do Pacaembu. O último ocorreu no Ibirapuera.

- O maior público foi registrado em 1996. Nada menos que 50 mil pessoas presentes, número muito motivado pela primeira apresentação do Iron Maiden no Brasil com o vocalista Blaze Bayley.

Não bastasse a já dura tarefa de se apresentar duas vezes seguidas, King ainda precisou superar um contratempo de ordem intestinal. Após se esbaldar com pratos de feijoada, o cantor justificou sua alcunha de Rei e precisou sentar no trono inúmeras vezes nos dias seguintes.

- Megadeth, Slayer e Raimundos foram as bandas que mais se apresentaram na história do festival. Cada uma participou duas vezes.

- O baterista Jimmy DeGrasso esteve presente em três edições. Em 1994 com o Suicidal Tendencies, 1995 com Alice Cooper e 1998 com o Megadeth.

- Headliners do primeiro Monsters, o KISS surpreendeu por não tocar o seu maior clássico, “Rock and Roll All Nite”.

- Nesse show, Paul Stanley cometeu duas gafes. Dedicou “Cold Gin” a quem tinha visto a banda em 1982 (erro que também constava no press-release). E anunciou “I Stole Your Love”, do álbum Love Gun como sendo de Rock and Roll Over.

No mesmo ano, o Black Sabbath trouxe uma formação atípica, com todos os instrumentistas da formação original e o vocalista Tony Martin, que jamais havia tocado com o baterista Bill Ward anteriormente.

- Apesar de toda sua história, o Sabbath se apresentou antes do Slayer. Na coletiva oficial, ao ser perguntado sobre a situação dos veteranos, o guitarrista Kerry King disparou: “Eles já deviam ter se aposentado faz muito tempo” (!!!).

- Equivocadamente escalados para o evento em 1995, o Virna Lisi foi hostilizado pela platéia o tempo todo. O ápice aconteceu quando o vocalista anunciou que iam “tocar um samba, pois estamos no Brasil”. As coisas só acalmaram um pouco quando Igor Cavalera entrou para uma participação especial.

- Um ano mais tarde, a vítima da vez seria o Skid Row. Tocando entre Iron Maiden e Motörhead, o grupo serviu de alvo para tudo que os headbangers tinham em mãos. A experiência foi tão traumatizante que Sebastian Bach lembra até hoje e constantemente cita o momento. Basicamente, este trauma só passou no retorno dele ao país em 2010, abrindo para o Guns N’ Roses – shows que o público idolatrou Sebastian e fez com que ele ganhasse (e adotasse largamente) o apelido “Tiãozinho” – relembre aqui a Cobertura Minuto HM para estes shows em Brasília e São Paulo.

- Três shows realizados no festival foram lançados oficialmente. O Kiss incluiu sua participação como bônus no terceiro volume da série de DVDs KISSology. Também no formato, o Manowar incluiu sua apresentação em 1998 como atração principal em Hell On Earth Part II. Do mesmo ano, o Korzus retirou sua apresentação para o CD Live at Monsters of Rock.

- O Slayer foi headliner da última edição, embora inicialmente não estivesse programado para tal função. A produção tentou trazer Judas Priest e Van Halen, mas não teve sucesso nas investidas. Coube a Tom Araya e seus asseclas realizar o último concerto da história do Monsters of Rock Brasil.

Pequenas curiosidades que rolaram nas 4 edições do festival:

- Uma “quase” formação original do Black Sabbath esteve presente na edição de 1994. Tony Martin que acabou tendo a difícil missão de encarnar Ozzy Osbourne na frente de 50 mil pessoas.

-Slayer, Megadeth e Raimundos participaram em mais de uma edição.

-O baterista Jimmy DeGrasso tocou em duas edições com bandas diferentes. 1994 com o Suicidal Tendencies, e em 1998 com o Megadeth
-A edição de 1996 marcou o fim da formação original do Skid Row. Isso mesmo, a última turnê sob o comando de Sebastian Bach ocorreu na América do Sul na época do festival.

-Por falar em Raimundos, a banda foi motivo de uma das maiores polêmicas do festival quando, em 1996, tocou depois do Helloween, com o dobro do tempo, luz, equipo e etc. Isso deixou muito fã da abóbora alemã pra lá de emputecido.

-A edição “gringa”do Monsters, ocorreu por diversos anos na região de Castle Donington, na Inglaterra. A primeira em 1980, e a última em 1996.

-Se fosse eleger os “vilões” do festival, 3 vocalistas disputariam a taça. César Maurício do Virna Lisi, tomou a maior vaia quando disse “vou tocar um baião pois estamos no Brasil” na edição de 1995. No ano seguinte, foi a vez de Sebastian Bach (Skid Row) ser alvo de tudo quanto é tipo de objetos impiedosamente atirados ao palco, e Blaze Bailey (Iron Maiden), que foi vítima de duras críticas pela imprensa especializada.

-Também em 1996, King Diamond se apresentou com o Mercyful Fate e, em seguida, com sua banda solo. Ele não costuma fazer isso com tanta frequência.

-A banda brasileira mais famosa de todos os tempos, o Sepultura, curiosamente não participou de nenhuma das 4 edições.


É UMA PENA UM EVENTO DIGNO DE ROCK PURO, TENHA ACABADO.


Fonte: Blog Van Halen, Blog minutohm,

2 comentários:

  1. eu lembro bem desssa época apesar de nao ter idade para frequentar estes eventos mas foi mais foi nessa época que comecei a ouvir rock
    nao era como os anos 80 mas foi uma epoca muito boa aonde varias bandas começaram e muitas se destacaram realmente uma época que vou guardar com muita alegria

    ResponderExcluir
  2. Eu fui ao evento de 1994 e foi muito...muito bom....

    ResponderExcluir